www.flickr.com

Jeso Carneiro

Santarém (Tapajós, Amazônia) e cercanias - fatos, fotos e opiniões.



terça-feira, janeiro 22, 2008

Internet, que martírio!

por Antenor Giovannini (*)


A evolução das coisas é absurdamente rápida nos tempos de hoje. Se antes ter um telefone fixo em casa era luxo, hoje é absolutamente necessário. O mesmo vale para o telefone celular, quando se observa um crescimento brutal no país das vendas deste aparelho, exatamente dada sua praticidade e necessidade no corre-corre diário.

O que dizer da internet? Mesmo consciente que a grande massa da população ainda não tem acesso a esse mecanismo digital, temos que convir que em bem pouco tempo se transformou numa importante ferramenta, inclusive de trabalho. Mas em Santarém usar essa ferramenta é um martírio, além de absurdamente custosa se comparada a outros locais do país.

A falta de fibra ótica nos coloca à mercê de empresas que se propõem a fornecer condições de conexões através de torres/radinhos etc. Além da conexão sofrível que nos é concedida por um preço exagerado e que muitas vezes nos privam por vários dias seguidos, temos uma péssima prestação de serviço concedida por essas empresas.

Um descaso, um desrespeito a qualquer Código do Consumidor. Nas explicações que nos são dadas pela falta de comunicação, isso quando se consegue falar com alguém, nota-se a falta de interesse, dando a entender que caso você quiser continuar como assinante tudo bem. Do contrário, até logo. Mude para outra. Você não faz falta. Ou seja, o cliente é usado de forma jocosa pelo fato de não termos tantas empresas no ramo, e os problemas serem os mesmos.

Mais irritado se fica ao assistir inúmeras propagandas propondo velocidades de duas, três e até quatro megas por ínfimos preços, e aqui uma tortura para se abrir uma simples nota ou um simples e-mail.

Até o Procon sabe dessa postura, mas diante da falta de opções sugere que sejamos pacientes. Até quando?

Alguém disse que a tal fibra ótica deve chegar em fevereiro. Esperamos que não seja história de 1º de abril ou tal qual a BR-163 que todo ano alguém diz que será asfaltada. O que se espera e imagina é que com a fibra ótica essas tais prestadoras sejam tão somente... passado. Apenas isso, sem qualquer saudade.

------------------------

* É aposentado e usuário de internet.

9 Comentarios:

Anonymous Anônimo Disse...

O senhor Antenor acertou, e eu acrescento, a internet em Santarém não é caso só de Procon, é de Polícia mesmo.
A minha atividade profissional, dependo 100% de internet, é um martirio, uma tortura diária, já esperimentei todos, inclusive as que nao existe mais, todas iguais.
Além de oferecer um péssimo serviço, os funcionários de algumas delas são de uma arrogênciae e falta de educação sem igual, é do tipo "nao estar satisfeito? procura outra".
AS desculpas são sempre as mesmas, transfere a responsabilidade para as "fornecedoras dos tais link's", EMBRATEL E TELEMAR que também são péssimas.
Já pensei, pedir a ACES reunir essas provedoras, as fornecedoras dos link's, Procon, Ministério Publico etc, mas....
Parabens senhor Antenor, pela abordagem

S. Bragança dos Campos
vitima da internet

22 janeiro, 2008 08:47  
Anonymous Anônimo Disse...

Caro Antenor Giovannini,

Parte des sua perguntas estão respondidas no texto que escrevi e que nosso amigo jeso publicou aqui http://jesocarneiro.blogspot.com/2007/01/internet-em-santarm.html.

Por outro lado fiquei triste em ver a comemoração do aniversário desse texto sendo com seu texto, pois em um ano alem de não melhorar o que parecia impossível aconteceu. Nossa internet piorou.
Ainda assim devo, mesmo que a contragosto, defender os provedores locais. Essas pequenas empresas que tentam nos prover acesso a internet também caíram no conto do vigário, pois como todos, acreditaram que os serviços de internet iriam crescer e baixar de preços em Santarém como no resto do mundo. Ledo engano. As prestadoras de serviço, detentoras da concessão simplesmente não estão dando a mínima para nossa cidade. Os preços pagos pelos provedores locais tiveram aumentos escorchantes inviabilizando o crescimento dos pequenos provedores que hoje se vêem obrigados a recusar novos clientes por não terem capacidade de atender.
Como os dois principais grandes provedores Embratel e Telemar não tem interesse em melhorar ou reduzir preços para nossa região, que ainda é lamentavelmente atendida apenas por satélite, essa realidade não deve mudar tão cedo. Junte-se a isso a passividade de nossos governantes e de nossas associações de empresários e da sociedade civil e teremos o receita perfeita para o ostracismo a que somos e sempre seremos relegados.

Grazziano Guarany
Consultor de Informática

22 janeiro, 2008 09:09  
Anonymous Anônimo Disse...

A culpa da falta de internet rápida é das ONGs ou do IBAMA!

22 janeiro, 2008 09:12  
Anonymous Anônimo Disse...

Tem várias razões que fazem nossa Internet essa desgraceira toda, 1. o pessimismo dos santarenos; 2. A tal da Embratel, empresa sem comando e sem rumo por aqui, alguém sabe quem é o gerente, eu acho que não tem?; 3. A falta de visão empresarial que não investe pra valer no ramo; 4.O comodismo do usuário e 5. Não existe Procon em Santarém, mas como todo negócio em Santarém quebra vamos continuar nesse caos por muitos e muitos anos. Fibra ótica aqui é filme de ficção científica.

Nelson Vinencci

22 janeiro, 2008 11:02  
Blogger Aldrwin Disse...

Caro Antenor, sem querer prolongar muito o que já foi discutido em outras ocasiões e aproveitando a "recordação" do amigo Guarany sobre o Aniversário de um ano que se discute este tema aqui no blog, lanço uma pergunta: O que fizemos, afinal, para sermos castigados por tanto tempo como somos por aqui? De quem é a "culpa" afinal?
Por que temos as coisas nas mãos mas não podemos usa-las?
Por que estamos diante de dois rios imensos e não temos águas nas torneiras?
Por que temos um solo fácil de escavar e uma topografia favorável mas não temos saneamento?
Por que temos uma linha de fibra ótica chegando pelo linhão em nossa cidade e não estamos ligados ao mundo?
Por que temos tantas riquesas naturais mas somos miseráveis?
Por que depois de tanto tempo, quando finalmente temos um hospital de qualidade, não podemos usa-lo?
Por que somos tão abandonados pelos governos federal e estadual?

E o mais importante:

Por que aceitamos com tanta passividade e tolerância isso tudo?

Nosso "atraso digital" é só mais um entre tantos atrasos que nos afastam ano a ano do que poderia (ou poderá, um dia) ser o melhor lugar do mundo para se viver.

22 janeiro, 2008 12:11  
Anonymous Anônimo Disse...

Recentemente me desliguei de um desses provedores porque eles me obrigavam a pagar pelo serviço que não foi prestrado.
A minha conexão não funcionava. Liguei para reclamar. Eles não atenderam. Reclamei pessoalmente. Nada foi feito. Fui à loja. Fui maltratado. Enfim, perdia paciência.
Fico me perguntado se realmente não podemos fazer nada. E a resposta é sempre a mesma: rezar.

Romy Eduardo Castro

22 janeiro, 2008 15:18  
Anonymous Anônimo Disse...

Caro Jeso.
Lendo o artigo de "Internet, que martírio!" de Antenor Giovannini, eu comento.
'Quem deras se a internet da cidade de Monte Alegre fosse igual a de Santarém'.
Aqui está um caos total o serviço. Eram duas empresas que exploravam o serviço, uma delas foi denunciada para Anatel que estava usando o sistema 'rádio' ilegal, e foi lacrada. Resultado, apenas uma empresa com 2 megas fornece internet para toda a cidade de Monte Alegre e com o preço de arracar os olhos de qualquer um. Nos cyber's se passa até 1 hora para abrir um email.
Imagine 64k de internet (que pelo Brasil a fora ninguém usa ) custa nada menos que R$ 300,00. Quem prefere o Plano Simple tem um serviço de 32k de internet por R$ 125,00.
O que é pior, 'não pra onde correr', o serviço discado da Telemar não funciona, muito menos os sistemas de internet da VIVO e Amazônia Celular. "Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come!".

Jornalista Genival Cardoso

22 janeiro, 2008 18:24  
Anonymous Anônimo Disse...

Jeso, Antenor e Guarany, existe uma luz no fim do túnel para esse martírio tecnológico. No final de outubro passado, os 1.800 km de cabos de fibra ótica da Eletronorte foram disponibilizados, mediante convênio, para a Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Pará, para implantação do projeto Navega Pará, que é considerado o maior projeto de inclusão digital do Brasil. Essa fibra, apesar de ter chegado à Santarém desde a implantação do linhão, precisa, para efetivamente ser utilizada no tráfego dados, de equipamentos adicionais, que por serem muito caros, não foram adquiridos pela Eletronorte, por não ser sua área de interesse. O convênio prevê que o Governo do Estado faça esse investimento e possa utilizar 50% da banda, deixando a outra metade para a Eletronorte. Santarém é um dos 13 municípios beneficiados diretamente.

Desde novembro passado participo diretamente desse projeto, como representante da Secretaria Municipal de Planejamento. Juntamente com os técnicos da Prodepa e utilizando a base cartográfica digital do município, que é de excelente qualidade, mapeamos os pontos para a formação do anel ótico de nossa cidade. O ponto centralizador está localizado no bairro do Aeroporto Velho, de onde sairão todas as conexões periféricas, por fibra, utilizando o posteamento da Rede Celpa. Mapeamos, com GPS, mais de 100 pontos, estrategicamente localizados na área urbana do município, para que toda a cidade seja beneficiada e outros na região de Mojui dos Campos e Alter do Chão. Essa rede se integrará à Metrobel, rede de fibra da região metropolitana de Belém e a disponibilidade de banda será quase 1.000 vezes maior do que a atual. O prazo para os primeiros testes é o mês de abril próximo. Ações de telemedicina, teleducação e governança eletrônica deverão ser a prioridade inicial. Perguntei ao secretário estadual e ao diretor da Prodepa sobre as questões colocadas pelo Antenor, visto que o Navega Pará só prevê o uso desta banda pelas instituições públicas e infocentros. Ele me informou que os 50% da Eletronorte é que poderão ser comercializados para a iniciativa privada, provavelmente através da Telemar ou Embratel, que firmarão acordos financeiros com a Eletronorte. Mesmo que algum atraso ocorra é um caminho sem volta, pois parte dos equipamentos já foram adquiridos e o investimento é de mais de 900 milhões de reais. Estou à disposição para maiores detalhes.

Lúcio Bemerguy

22 janeiro, 2008 21:20  
Anonymous Anônimo Disse...

Caro Jeso- Aldrwin - Nelson - Dr Lucio - e demais ...
Todos tem razão quando focam que apenas esperneamos, nos lastimamos ou apenas reclamamos e pouca prática executamos ..
Aldrwuin concordo que há muitos porques?? que não sao respondidos e talvez tenha chegado a hora de ser criada alguma ação do tipo " Acorda Santarém " e que essas cabeças que norteiam o blog do Jeso, independente de filosofia e de pensamentos, mas irmanados numa ação conjunta em prol de uma região, crie uma bandeira num foco de cobrança mais energica e mais atuante dos porque que as coisas acontecem por aqui. Sem partidarismo, sem politicagem. apenas focando ações que nos façam ser reconhecidos como cidadãos com direitos e deveres, mas que hoje pelo que muitas e muitas coisas se apresentam temos tão somente deveres .
Seria hora de convocar essas cabeças pensantes para unir em torno de um "Acorda Santarem" .
Fica a proposta .

Antenor P. Giovannini

23 janeiro, 2008 09:37  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home